O que é a hipermetropia?

A importância dos óculos de sol para as crianças
Novembro 13, 2019
O que é a fadiga ocular digital?
Novembro 26, 2019
Mostrar tudo

A hipermetropia trata-se de uma dificuldade visual que afeta, principalmente, a visão ao perto. No entanto existem vários graus em que, os mais elevados afetam também a visão ao longe.

Esta dificuldade visual é bastante frequente, estimando-se que afeta cerca de 55% da população nacional, sendo uma condição mais comum nas crianças. Esta dificuldade apresenta uma forte influência genética.

A saber sobre a hipermetropia:

A hipermetropia é uma dificuldade visual que ocorre quando o globo ocular é mais curto do que o denominado normal, ou porque a córnea apresenta uma curvatura reduzida. Desta forma, o que acontece é que quando a luz entra nos olhos, devido às alterações dos mesmos, esta não é focada de forma correta.

Apesar desta dificuldade visual poder surgir isoladamente, geralmente está também associada com o astigmatismo, outra dificuldade visual que afeta fortemente a capacidade visual do indivíduo.

Principais Causas

As principais causas para esta dificuldade visual é quando o eixo axial do olho é curto ou quando o raio de curvatura da córnea está consideravelmente aumentado. Estas duas transformações ao nível do olho provocam alterações na curvatura do cristalino, que é a lente que está no interior do olho, impedindo que a luz seja focada na própria retina.

Manifestações:

Esta condição manifesta-se, essencialmente pela dificuldade no foco de objetos ao perto.

  • Dificuldade no foco de objetos que estão perto do campo visual;
  • Dificuldade no foco de objetos ao longe;
  • Fadiga visual;
  • Dores de cabeça – estas podem surgir pelo esforço que os olhos fazem constantemente para conseguirem focar os objetos;
  • Perda de concentração
  • Sonolência
  • Baixo rendimento académico/profissional

Diagnóstico e tratamento:

O seu diagnóstico é bastante simples e faz-se no decurso de uma consulta da especialidade de oftalmologia.

Nas crianças, geralmente, é necessário recorrer à utilização de gotas que dilatam as pupilas e paralisam determinados músculos oculares, de forma a garantir uma maior fiabilidade no diagnóstico.

Geralmente, os casos de hipermetropia são corrigidos através da utilização de óculos. Estes podem ser de uso temporário ou permanente, mediante o caso e o grau da própria dificuldade visual.

De forma a corrigir esta condição, as lentes destinadas a este fim são mais finas na zona da extremidade e mais espessas no centro. Assim é possível corrigir a forma com a luz vai incidir sobre a retina. 

Prevenção

Sabe-se, atualmente, que não é possível prevenir a hipermetropia. No entanto existem medidas que nos ajudam a proteger os nossos olhos não só do agravamento da condição, como também do surgimento de outras patologias.

  • Realizar consultas com o médico oftalmologista regularmente;
  • Usar lentes com a graduação correta;
  • Utilizar óculos de sol de forma a proteger os olhos das radiações UV;
  • Praticar um estilo de vida saudável;
  • Ajustar a iluminação às necessidades;
  • Não fumar.